A carioca Zanna desembarca no Blue Note São Paulo para divulgar seu primeiro álbum, que tem 11 faixas autorais. Cantora e violinista, a artista faz parte da cena da nova MPB.

Canções originais, como “Quintal” e “Menina de Vento”, estão no repertório, assim como releituras de clássicos. É o caso de “Sonífera Ilha”, dos Titãs, “Quero Te Encontrar”, de Claudinho e Buchecha, “Tempo Perdido”, do Legião Urbana, e “Hoje”, da Ludmilla.

Zanna estuda música desde pequena e morou na Itália, onde fazia parte da banda Bossa Nostra, que chegou a se apresentar em festivais, como o Festival de Jazz de Montreal, no Canadá. De volta ao Brasil, ela passou a investir em uma agência de sound branding – tanto que a voz de Zanna é bem conhecida entre os cariocas: é ela que faz a locução no metrô do Rio de Janeiro, para anunciar as próximas estações.

Zanna, agora, passa a ser conhecida também pela sua MPB autoral e está em turnê por várias cidades do Brasil.

O Blue Note São Paulo é um clube dedicado ao jazz e a shows intimistas – ele segue o molde da matriz, o Blue Note de Nova York, que é uma das principais casas de show da metrópole americana. Por aqui, a casa está no Conjunto Nacional e tem vista para a avenida Paulista.

Com iluminação baixa, o Blue Note tem bar, mesinhas e, claro, o palco, que tem uma bonita cortina azul ao fundo.